Investigador particular atende muitos casos de desaparecimentos

Investigador particular Quem pensa que só na novela existe tráfico de pessoas está muito enganado, no nosso país a cada dia várias pessoas desparecem e nunca mais são encontradas. Pessoas de todas as idades, raças, crenças.

Segundo o investigador particular, esses casos de desaparecimentos têm aumentado bastante e a solução para eles às vezes nem aparece. Porém, o investigador particular é a luz no fim do túnel para essas famílias que se encontram desesperadas ao não encontrarem mais o seu ente querido.

Para as famílias, os investigadores particulares são a luz no fim do túnel porque a polícia pouco age nesses casos. A demora e a burocracia são tão grandes que se a família não contrata uma investigação particular as chances de solução são ainda menores.

Os investigadores particulares colocam que nesses casos de tráfico de pessoas o tempo é fundamental, pois uma vez que a pessoa é retirada do país dificilmente se terá notícias dela novamente.

A investigação particular, nesses casos, vai além de atuar no caso específico, passando a investigar a quadrilha que comete esses crimes e com isso, talvez, evitando novos desaparecimentos.

Por isso é importante que as famílias, ao buscarem o serviço de um investigador profissional, procure um profissional que já esteja lidando com outros casos semelhantes, pois isso pode colaborar, e muito, nessa investigação e em futuras.

O investigador particular diz que esses casos de desaparecimento são dos mais complexos com os quais eles atuam, pois na maioria das vezes não se tem nem por onde começar, porque a família não tem informações sobre nada e nem ninguém.

Pode ser de se espantar, mas essas quadrilhas pegam crianças de dentro de maternidades, saindo de escolas. Convencem jovens a fazerem coisas que suas famílias nunca imaginariam e por isso não contam.

Mas, apesar de ser uma investigação difícil, não é impossível e as famílias devem continuar tentando uma solução.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *